terça-feira, 11 de novembro de 2008

Menopausa


O universo feminino está sempre cheio de preocupações e mistérios. Uma destas preocupações, certamente está ligada ao envelhecimento e conseqüentemente ao climatério e a menopausa.

A menopausa é um evento que ocorre durante o climatério: a última menstruação, e ocorre por volta dos 52 anos. Da mesma forma que no início da fase reprodutiva, ao final desta fase, os ciclos menstruais se tornam irregulares até cessarem completamente. Considera-se que uma mulher está menopausada quando ocorre a cessação da menstruação por um período de um ano.

O climatério é o período de transição entre a fase reprodutiva (fértil) da mulher e a não reprodutiva. É nesta fase, que há uma redução drástica dos hormônios produzidos pelos ovários, podendo gerar sinais e sintomas desconfortáveis e, até mesmo evoluir para outros transtornos orgânicos. Sabe-se que cerca de 80% das mulheres ocidentais e apenas 20% das mulheres orientais apresentarão os sinais e sintomas do climatério, provavelmente devido aos fatores culturais e ambientais que influenciam o estilo de vida.

Os sinais e sintomas do climatério são chamados de Síndrome Climatérica ou Menopausal, em que a mulher poderá apresentar um ou mais sintomas, que decorrem da ausência da produção dos hormônios ovarianos estrogênios e progesterona.



Os sintomas mais freqüentes são:

·Alterações do humor, ansiedade, depressão, fadiga, irritabilidade, perda de memória e insônia devido às alterações hormonais que afetam a química cerebral. Esta fase, por vezes coincide com mudanças na dinâmica familiar como a saída dos filhos (síndrome do ninho vazio), aparente desinteresse dos parceiros levando a mulher a se sentir inútil.

·Modificação da sexualidade com diminuição do desejo sexual, também chamado de libido, que pode estar diminuído por vários motivos, entre eles a menor lubrificação vaginal.

·Alterações urogenitais causadas pela falta de estrogênio que levam a atrofia do tecido, tornando frágil a ponto de sangrar. Na vagina a atrofia causa o estreitamento e encurtamento, perda de elasticidade e diminuição das secreções, causando a secura vaginal e o desconforto durante a relação sexual chamada de dispareunia. Modificações na flora vaginal facilitam o aparecimento de uma flora inespecífica que predispõe a vaginites. Outros efeitos indesejáveis ocorrem no nível da uretra e da bexiga, causando dificuldade de esvaziamento da bexiga, perda involuntária de urina e a chamada síndrome uretral, caracterizada por episódios recorrentes de aumento da frequência e ardência urinária, além da sensação de micção iminente.

·Aumento do risco cardiovascular pela diminuição dos níveis de estrogênio. O estrogênio protege o coração e os vasos sanguíneos contra problemas, evitando a formação de trombos que obstruem os vasos e mantendo os níveis do bom colesterol.

·Fogachos ou ondas de calor, que causam uma vermelhidão súbita sobre a face e o tronco, acompanhados por uma sensação intensa de calor no corpo e por transpiração. Podem aparecer a qualquer hora e muitas vezes são tão desagradáveis que chegam a interferir nas atividades do dia-a- dia.

·Osteoporose é a diminuição da quantidade de massa óssea, tornando os ossos frágeis e mais propensos às fraturas, principalmente ao nível da coluna vertebral, fêmur, quadril e punho. Embora algumas mulheres possam não apresentar nenhum sintoma, alguma manifestação silenciosa da deficiência hormonal ocorrer, como a perda de massa óssea que leva a osteoporose. São os cinco primeiros anos após a menopausa que ocorre uma rápida perda óssea

O tratamento é multidimensional. Existem diversas atitudes a serem tomadas para que o início dessa nova fase da vida torne-se muito mais agradável. Cultivar hábitos saudáveis como a atividade física (caminhada, hidroginástica.) são fundamentais para melhorar a qualidade de vida, manter a estética e reduzir o risco cardiovascular. A alimentação saudável deve incluir uma ingesta de líquidos como água e sucos naturais; legumes cozidos, verduras variadas, consumo de carnes magras cozidas ou grelhadas; incluir alimentos ricos em cálcio como leite e derivados desnatados. Alguns alimentos possuem em sua composição a isoflavona que é considerado um repositor hormonal natural.

A isoflavona está em grande concentração nos alimentos a base de soja. Caso seja necessário também existe a terapia de reposição hormonal, que somente poderá ser indicada se necessário, e com prescrição médica.

Manter atividades intelectuais, profissionais ou agregar novos conhecimentos, melhoram a performance racional, cognitiva e impedem os desagradáveis esquecimentos e estimulam o prazer de viver e massageia o ego, aumentando a auto-estima. Procure desenvolver atividades que lhe dê prazer, busque o auto-conhecimento, se gostar, respeitar e investir positivamente nos desafios desta nova fase da vida que pode ser repleta de grandes descobertas e auto-realizações.

1 comentário:

Léo Mandoki, Jr. disse...

deve ser bom esse bolo de ananás!!!
a sexualidade tem q ser praticada tdos os dias e bem trabalhada nas nossas cabeças
um beijo grande....tira mais fotos para eu te ver..és tão linda!!